Houve uma época em que utilizar produtos para a pele era exclusividade apenas das mulheres. E caso algum homem ousasse chegar perto desses produtos, muitos o olhavam com preconceito. Felizmente, essa época ficou para trás e os homens estão cada vez mais preocupados com a aparência e consequentemente com o seu bem-estar. A prova disso é o faturamento de R$ 19,6 bilhões do mercado masculino de cuidados pessoais no ano de 2016, segundo dados da Euromonitor International. Um resultado 10,6% maior quando comparado ao ano anterior.

Antenados nessa mudança de comportamento, algumas marcas globais já estão revendo o seu portfólio. Recentemente as marcas coreanas K-beauty e Face Tory, tradicionais em cuidados para a pele, lançaram uma máscara facial específica para os homens, com compostos e embalagens que proporcionam uma experiência atraente para este consumidor. Na Europa, a cada cinco homens, mais de um utiliza máscaras faciais, o que mostra a crescente percepção dos benefícios deste tratamento. Porém, muitos deles utilizam máscaras unissex ou femininas, o que indica dois importantes pontos: a falta de produtos específicos para a pele masculina e uma ótima oportunidade para as marcas explorarem essa fatia de mercado.

Aqui no Brasil, uma pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest, revelou que 43% dos homens se denominam como super vaidosos e 54% frequentam regularmente salões e barbearias, o que pode ser percebido também com a crescente expansão de barbearias mais despojadas e com ofertas distintas de serviços, sem se limitar apenas a barba, cabelo e bigode. Ou seja, em breve, veremos também em território nacional, cada vez mais produtos específicos para a pele masculina!

Fonte: Mintel / Revista América Economia