Já percebemos ao longo dessa edição do BHB que a alimentação do presente e
do futuro está cada vez mais tecnológica. Agora, imagina você conseguir rastrear,
através de um QR Code todas as etapas de produção do seu alimento? É isso o que o
Blockchain Reseach Leader da IBM, Percival Lucena, contou em sua palestra.

Para essa inovação, é utilizado o sistema Blockchain, responsável por centralizar
informações por meio de códigos on-line. De acordo com Percival, o Blockchain tem
como função unificar e deixar mais transparente esse processo de dados. Agora,
utilizado para ‘rastrear comida’, o sistema permite a abrangência de modelos de
validadores simples, capazes de quantificar as etapas de produção dos produtos, de
forma manual, com fotos e dados de cada um desses ciclos.

Percival ressaltou que “a relação que temos com o alimento está ligado a uma
marca específica”. Isto é, nós temos a tendência a relacionar a qualidade de produção
dos nossos alimentos através da transparência de produção apresentada para o
consumidor, que muitas vezes foram exibidas através de ações de marketing. Para o
consumidor, o valor do alimento não está relacionado ao formato, a composição do
alimento, mas está no modo em como ele enxerga o alimento e qual a confiança que
este produto entrega.

Normalmente, “você tem um selinho verde, colado na embalagem, e aquilo é a
única fonte que você tem para confiar se aquele produto é realmente um produto
orgânico ou não”. Uma rede de Blockchain é capaz de conectar todas as informações
necessárias para compreender a constituição desse produto, como quem produziu, como
foi realizado o processo de logística, embalagem, armazenamento, processamento e até
a temperatura do alimento.

A escolha pelo Blockchain é simples, o sistema é específico para identificar
fraudes, então, com esse formato de captação de dados, o Blockchain entrega de forma
rápida ao consumidor a informação, de um jeito simples e com a segurança necessária
sobre a credibilidade daquele produto. Percival ressalta que atualmente é difícil
identificar as fraudes nos produtos expostos nas prateleiras, mas que com o sistema, é só
escanear o QR Code e todas as informações necessárias estão ao alcance da palma da
sua mão.

E essa tecnologia toda de um QR Code para visualizar informações dos produtos
não é coisa do futuro não, é algo real e já está presente no cotidiano de muita gente. A
IBM desenvolveu, em 2018, uma rede Blockchain de rastreamento de produtos
alimentícios, a IBM Food Trust. Nela, é possível rastrear, observar os certificados, o
tempo de prateleira e as extensões do produto. Também, através da Blockchain, a
indústria pode automatizar os recalls de alimentos, identificando em tempo hábil
possíveis problemas do alimento. Hoje, essa rede mantém dados de mais de 5 milhões
de produtos em todo o mundo.

Com o uso dessa tecnologia, é possível criar uma identidade digital do produto e
assim, intensificar a reputação da marca. A credibilidade cresce, o Market Place se
fortalece e o consumidor se sente cada vez mais contemplado em entender que suas
escolhas, vontades e curiosidade de conhecer o produto estão sendo respeitadas pela
indústria.

Confira o depoimento do Percival Lucena no BHB FOOD 2019: