É cada vez mais claro o esforço que o consumidor brasileiro vem fazendo para ter uma alimentação saudável. De acordo com a GFK, 50% dos brasileiros demonstram esse esforço, ficando à frente da média global (40%) e da América Latina 49%). Uma pesquisa recente da Kantar Worldpanel, 27% dos lares declaram ter feito mudanças na alimentação, como aumentando o consumo de frutas e sucos naturais, bem como diminuindo o consumo de carne vermelha, açúcar e refrigerante.

Veja alguns destaques que estão em consonância com as tendências globais:

Açúcar: redução e troca – 389 mil domicílios deixaram de comprar açúcar refinado em 2018. Embora esteja presente em 51,8% dos lares brasileiros, o produto teve queda de 0,4% em volume e 19% em valor em comparação com 2017. Já o açúcar demerara, menos refinado e sem aditivo químico teve um aumento de 3,7% de penetração no mesmo período, o que significa mais de 2 milhões de compradores em 2018.

Carne: ausência além da segunda-feira – a mudança nos hábitos de consumo de alimentos de origem animal, tanto por conta do aumento dos adeptos das dietas vegetarianas e veganas e dos flexitarians (aquelas pessoas que decidem não consumir produtos de origem animal em alguns dias ou em algumas refeições), fizeram com que houvesse uma queda no volume das carnes de todos os tipos: bovina, frango e suína. 50% dos lares dizem ter diminuído o consumo de carnes vermelhas;

Refrigerantes: queda expressiva – presente em 97% dos lares, a mudança de hábitos alimentares também afetou esta categoria. De 2017 para 2018, 222 mil domicílios deixaram de ter o produto sem sua despensa;

Leite – ponto para as versões zero lactose – com perda de penetração em 611 mil lares, o leite UHT sofreu queda no período. No entanto, a categoria de leite sem lactose cresceu 7,9% em volume e 12,6% em valor. A intolerância a lactose atinge 35% da população brasileira segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha em 2017, no entanto, o crescente aumento desta categoria não se deve apenas a esta fator, a preocupação com o bem estar intestinal de forma geral, também é importante para este crescimento.

As mudanças nos hábitos alimentares dos consumidores que estão em busca de produtos naturais, que entreguem saúde e nutrição e que tenham um impacto positivo no meio ambiente, são cada vez mais sólidas e serão ainda mais sustentáveis quando todos que estão dentro do ecossistema de produção de alimentos, tiverem a consciência das inovações e mudanças que podem realizar em seus negócios, para que isso aconteça de forma mais simples e natural, pois quem não fizer isso, vai ficar para trás.

Conte com o nosso Time para entender como as mudanças no comportamento do consumidor podem impactar o seu negócio 😉

Fonte: Kantar Worldpanel