Nos dias 20, 21 e 22 de novembro aconteceu em Londres a Food Matters Live 2018, um evento dedicado dedicado à criação de conexões intersetoriais com foco no futuro da comida, bebida e nutrição sustentável. O evento contou com mais de 400 palestrantes, 100 sessões de conferência e seminários e uma área de exposição com produtos e ingredientes que mostraram o que há de mais recente em nutrição, saúde e bem-estar no segmento de alimentos e bebidas.

A área de exposição da feira é dividida em 6 áreas: Snack Saudável, Free From, Bebidas Saudáveis, Nutrição Esportiva, Startup e Internacional. Dentro de cada área, foi possível observar inovações que representam as tendências descritas em nosso relatório QTRENDS, confirmando a saúde e nutrição como importantes pilares para gerar negócios. Veja algumas delas:

  • Revolução intestinal: uma área da feira tinha o nome de “Kombuchá Corner”, ou seja, é a saúde digestiva ganhando cada vez mais destaque e interesse do consumidor e das marcas. Mas não havia apenas kombuchas utilizando o apelo de saúde digestiva, de marcas de vegetais fermentados alegando ser “naturalmente rico em probióticos e ótimos para saúde intestinal” como a marca Bodkin, até molhos de macarrão da marca BellyGoodness sem glúten e sem lactose, “isento de substâncias que podem irritar o seu intestino”.

                                          

  • Plant based: a dieta plant based não é consumida apenas por vegetarianos e veganos, sabemos que o estilo de vida e o interesse dos consumidores em experimentar novos sabores, faz com que as marcas utilizem vegetais, legumes e leguminosas com cada vez mais empenho em seus produtos, buscando praticidade e sabor para agradar o paladar de vegetarianos, veganos e flexitarians. Na feira estavam marcas como Rubies in the Rubble, com uma maionese feita com aquafaba, que é a água restante do cozimento do grão de bico. Segundo a marca, essa água é rica em proteínas e substitui os ovos. Além disso, havia também o sorvete da marca Lupinesse feito com tremoço.

                           

  • Comid@ é tech!: a tecnologia permite que o consumidor retome o controle da sua saúde e dieta. A nutrigenômica (mapeamento dos genes para identificar quais nutrientes podem ser mais benéficos e eficazes para a sua saúde) e o teste de microbioma (analise do perfil do microbioma) são exemplos de personalização que estão sendo cada vez mais utilizados pelos consumidores e merecem atenção especial para construção de estratégias das marcas. A Foodini, impressora de alimentos 3D que parece pertencer ao balcão da cozinha, aproximando esta tecnologia do consumidor. Com ela, você sabe exatamente o que está comendo conforme escolhe os ingredientes que “adiciona” na impressora, além de reduzir o desperdício de alimentos.

Há uma gama imensa de oportunidades para a indústria de alimentos e bebidas inovar. O mercado possui vários nichos para atender, e nem tudo se tornará mercado de massa. Por isso, não espere! Conte conosco para o seu planejamento de 2019 😉

Fonte: New Nutrition Business