Blog

13 abrSustentabilidade fragmentada e a indústria de alimentos


97% das pessoas esperam que as marcas solucionem problemas sociais*. Com uma agenda ainda pouco produtiva, de ESG (do inglês: Environmental (Ambiental), Social (Social), Governance (Governança), a indústria de alimentos e bebidas se vê cada dia mais cobrada para entregar resultados em meio a um conceito de Sustentabilidade fragmentada, amplo e que o consumidor ainda não entende muito bem. Fonte: Equete Global Mckinsey* 

Entendimento do consumidor sobre sustentabilidade:

Segundo pesquisa da Ipsos em parceria com a ADM (2020), 32% dos brasileiros optam por comprar produtos que demonstrem compromisso com a sustentabilidade. Uma parcela ainda pequena, mas em franco crescimento.

Porém, sustentabilidade ainda não é um conceito 100% claro para a maioria das pessoas. Segundo relatório publicado em 2020 pelo European Consumer Council, o termo sustentabilidade pode ter diversos significados para o consumidor final, sendo os mais citados abaixo:

  • Nutritivo e saudável; 
  • Pouco ou nenhum uso de pesticidas; 
  • Baixo impacto ambiental e climático; 
  • Pouca embalagem, nenhum ou pouco plástico. 

A verdade é que existem inúmeras formas de uma marca ou produto adotar ações de sustentabilidade, das mais simples às mais complexas, porém é necessário consistência e muitas vezes mudança de cultura. Mais importante que ter um discurso afiado, ele precisa ser real. Como o assunto é urgente, o recomendável é colocar em ação o famoso walk the talk, ser transparente em tudo.  

 

Sustentabilidade Fragmentada

Além da fragmentação no que diz respeito ao conhecimento do consumidor sobre o assunto, geralmente as próprias indústrias tem um conceito de que sustentabilidade é somente o que está ligado a questões ambientais, enquanto na verdade é um assunto tão vasto que se desdobra ao menos em: Ambiental, Social e Econômico 

Para entender mais sobre esse assunto, eu recomendo fortemente que você ouça o Episódio do BHBFOODCAST : A sustentabilidade descomplicada da Natura com Keyvan Macedo, diretor de sustentabilidade.

Estamos de ‘vento em popa’ na construção do Relatório Q Trends 2022-2023, e nele tratemos um capítulo exclusivo dos 5 principais pilares em que uma indústria de alimentos, bebidas e suplementos deveria ter como base para o início de um pensamento voltado para sustentabilidade

 

Inovação Sustentável e investimentos  

Para vocês que está ansioso por essa transformação, nada melhor do que iniciar projetos novos com esse ajuste no Mindset para economia verde, circular.  

Isso porque atualmente 70% dos investidores analisam as questões de ESG antes de colocar dinheiro em um negócio. Dados do banco UBS BB. 

Não só investidores, mas também aceleradoras, como é o caso da Startup Tetrapak, um programa de aceleração da empresa em parceria com a Plug and Play, plataforma de inovação com origem no Vale do Silício California, que ajudam a fomentar projetos, voltados para a indústria de alimentos, finanças, cibersegurança, mobilidade, saúde e muitos outros, sempre tendo como ponto de partida o ESG.  

Se você faz parte de uma empresa com desafios de inovação sustentável, a Equilibrium pode te ajudar. Trabalhamos ajudando marcas à inovarem em saúde e nutrição, de diferentes formas e também a COMUNICAR isso ao mercado de forma transparente com seus consumidores e profissionais de saúde. Conte conosco! 

Enquanto isso, seja você um cidadão mais consente e exigente de suas escolhas, suas compras e comportamentos. Precisamos viver o que acreditamos. 


0 Comments

Leave A Comment

Deixe uma resposta