Nos dias de hoje falar em snack é falar em oportunidade para a indústria de alimentos. Seja em busca de uma alimentação saudável ou de um momento indulgente, os consumidores fizeram dos snacks alimentos obrigatórios em sua alimentação. De acordo com o IRI (International Resources Information), os consumidores fazem o consumo de snacks em média 2,5 vezes ao dia. Além disso, 49% das ocasiões de consumo envolvem snacks e 8% dos consumidores deixam de fazer grandes refeições e preferem snacks como substitutos, segundo a Hartman Group.

Algumas características como alto em proteína, baixo em carboidrato, rico em fibras e clean label são “básicas” para um snack, mas além desses benefícios naturalmente funcionais, os consumidores também fazem suas escolhas baseadas em objetivos como perda de peso (26%), desempenho atlético (20%), presença de super ingredientes (19%) e condição específica (10%). Ainda considerando os motivos para as escolhas de snacks, uma pesquisa da Hartman Group revelou que 65% dos adultos com idades entre 18 e 54 anos buscam alternativas que contenham vitaminas e minerais, 63% buscam opção com mais fibras, 60% preferem opções com mais proteína, 59% com mais vitamina D, 58% com grão integrais, 38% com probióticos e 32% com proteína vegetal.

Mas lembre-se, o principal fator que influencia a decisão de compra de um snack, ainda é a naturalidade. Uma pesquisa da Innova Market Insights mostrou que 35% dos consumidores de 19 países analisados citam a naturalidade como principal característica, seguida de redução e/ou retirada do açúcar (23%) e isenção de sabores e cores artificiais (20%), refletindo o interesse em rótulos limpos, o que impulsionou mais da metade dos lançamentos globais.

Outra tendência nesta categoria são os produtos veganos, orgânicos e com apelo sustentável. Eles estão ganhando destaque, uma vez que ajudam e mantém os consumidores a conquistar seus objetivos de estilo de vida. Normalmente, startups nascem com esses mesmos propósitos, o que reforça os dados do New Nutrition Business, que mostram um maior sucesso para as startups que produzem snacks, sendo de 72,5% comparado a 53% para as grandes indústrias.

E claro, os snacks proteicos! Eles são definitivamente mainstream. Os consumidores buscam por estes produtos por uma série de razões, entre elas o gerenciamento de peso e a saciedade.

O mercado está aquecido e movimentações importantes tem ocorrido, a recente aquisição da marca de snacks Graze pela Unilever é um dos exemplos. Separamos alguns cases abaixo para que você veja como as ofertas estão alinhadas com as demandas mostradas nesta matéria:

Resultado de imagem para that's it bars probiotics

Com apenas dois ingredientes, a barrinha de frutas com probióticos da marca That’s it. foi lançada recentemente

 

Iogurtes com alto teor de proteína das marcas Vigor e Danone

 

Resultado de imagem para just crack an egg

Ovos mexidos práticos e saborosos da marca Kraft Heinz disponível nos EUA. Com quatro ingredientes, basta o consumidor adicionar um ovo e colocar no micro-ondas.

 

Resultado de imagem para zupa noma

A marca Sanoma reinventa o mercado sopas e apresenta o produto em garrafa. Disponível na Europa e EUA.

Se quiser bater um papo sobre essa tendência, entre em contato com a gente! Vamos adorar tomar um café e discutir o rumo desta categoria no país 😉

Fonte: Nutraceuticals World